Gracielle Torres

Gracielle Torres

Governo Federal lançou, nesta segunda-feira (17), por meio de decreto, o Programa Nacional de Enfrentamento da Violência contra Crianças e Adolescentes. A ação tem como objetivo articular e desenvolver políticas públicas voltadas à garantia dos direitos humanos infanto-juvenis. A ideia é proteger esse público de negligências, discriminação, violência e abuso.
Também, nesta segunda-feira (17), foi apresentada campanha de conscientização para reforçar o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. A ação “Quebre o Silêncio. Denuncie” faz parte do Maio Laranja, um mês de alerta à toda a sociedade para o combate ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil. O objetivo é levar informações à população e aos profissionais que atuam diretamente com esse público.
As ações foram divulgadas durante cerimônia em referência ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, lembrado em 18 de maio. O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participaram do evento.
O Presidente Jair Bolsonaro afirmou que, no atual Governo, os crimes de violência contra crianças e adolescentes não ficarão impunes. “Não haverá por parte desse ministério, eu tenho certeza, o encobrimento de qualquer pessoa que porventura tenha cometido e esteja cometendo um crime como esse”, afirmou.
A ministra reforçou o combate à impunidade. “O que a gente quer fazer aqui, nesta tarde, é mandar um recado para o Brasil. Acabou. Basta de violência contra a criança no Brasil. Os números nos assustam”, ressaltou a ministra.
Dados de violência contra crianças e adolescentes
Dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos revelam que 52% dos casos de exploração, violência ou abuso sexual contra crianças e adolescentes ocorrem na casa da vítima.
Segundo a ministra Damares Alves, em 2019, o Disque 100 registrou 28.730 denúncias de violência sexual comprovadas contra crianças e adolescentes no Brasil. Em 2020, foram 26 mil. De acordo com ela, o número de ligações diminuiu por causa da Covid-19 e as crianças estavam em casa, e não na escola. “E as maiores denúncias vêm da escola”, explicou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
Damares informou que o tema é prioridade no Governo Federal e que todos os ministérios estão envolvidos em ações conjuntas. “A cada uma hora, a gente tem no Brasil, pelo Disque 100, 2,2 casos de violência sexual. Apenas no Disque 100. Vocês conseguem imaginar os casos não notificados?”, indagou a ministra.
Novo painel da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos
O novo painel da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos passará a divulgar a atualização sobre o cruzamento de dados da violação de direitos humanos no país a cada sete dias. Uma outra novidade é que serão apresentados relatórios sobre o tema a cada seis meses. Antes, os documentos sobre direitos humanos eram anuais. Todos os dados estarão disponíveis para a sociedade no site da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos.
Outras ações
Uma série de outras ações vem sendo promovida pelo Governo Federal para reduzir o índice de violência contra a criança e o adolescente no país.
Uma delas, segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, será o lançamento em julho, em Vitória da Conquista (BA), de um espaço semelhante à Casa da Mulher Brasileira voltado para o atendimento infanto-juvenil. É uma área que reunirá todos os serviços de proteção voltados a esse público. A ideia é replicar essa prática por todo o país.
Maio Laranja
O Maio Laranja é um mês inteiro de atividades com o objetivo de reforçar o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Nesta terça-feira (18), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, informou que estará no Rio de Janeiro, para participar da cerimônia que iluminará de laranja o Cristo Redentor, em alusão à data.
FONTE: GOV.BR

Cartilha atualiza dados de abuso sexual contra crianças e adolescentes para fortalecer rede de proteção

Material traz subsídios para gestores e para sociedade, além de incentivar a realização de denúncias no Disque 100

Para fortalecer e subsidiar profissionais da rede de proteção a crianças e adolescentes, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) atualizou cartilha com informações sobre abuso sexual contra esse público. Com novos dados, o documento ainda incentiva o registro da denúncia e sensibiliza as famílias brasileiras a respeito do tema.A cartilha mostra, por exemplo, que o Disque 100 teve 95,2 mil denúncias de violência contra crianças e adolescentes em 2020. Os registros corresponderam a 368.333 violações e incluem violência física, psicológica, abuso sexual físico, estupro e exploração sexual. Os dados são da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (ONDH), responsável pelo serviço no MMFDH.

E como apoio à campanha, Gracielle Torres fará campanha hoje pelas redes sociais. Segundo Gracielle, "Não há como prevenir a violência sexual contra crianças e adolescentes sem conscientizar e educar. O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) atualizou a cartilha com informações sobre abuso sexual infantil. E eu vou fracioná-la em pequenas mensagens para levar o conteúdo ao longo do dia pra você. Por isso, especialmente hoje, a melhor contribuição é compartilhar conhecimento."

Você também pode baixar a nova cartilha na íntegra clicando no menu superior "Aprendendo a Proteger" e em seguida em "Cartilhas".
Acompanhe as postagens nas redes sociais de Gracielle Torres e Proteja.
Fonte: GOV.BR
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, no último sábado (15/5), a operação "Male Adversus", em decorrência de investigação acerca de uma postagem de ameaça a massacre escolar e atentados contra famílias. Durante cumprimento de mandados de busca e apreensão, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram arrecadadas armas brancas, como facas e facões.

 

As investigações, ainda em andamento, apontam que uma adolescente seria a suspeita de realizar as postagens. Por isso, o chefe do Departamento Estadual de Combate à Corrupção e a Fraudes, delegado Agnelo Baeta, alerta pais e responsáveis a se atentarem quanto ao comportamento de adolescentes. "Queremos tornar público para que os pais fiquem atentos a situações em que os filhos, de repente, possam estar envolvidos", reforça.

 

A delegada Danielle Aguiar pontua a importância de os responsáveis estarem atentos à conduta dos filhos na internet e aos objetos que possuem nos quartos. "O comportamento dos adolescentes tem mudado, sobretudo no panorama atual, e requer atenção dos familiares e dos pais, que sejam diligentes na condução da educação, na fiscalização dos atos", declara.

 

Ainda Aguiar orienta que os pais acompanhem as redes sociais dos filhos, os grupos que estão participando dentro de aplicativos de mensagens e os assuntos que possuem interesse. "É importante que os pais façam essa fiscalização, estejam atentos a qualquer mudança de comportamento. Às vezes, o adolescente, do nada, começa a ficar introspectivo, a se isolar da família, não tem amigos. Então o pai tem que buscar sobretudo manter o diálogo saudável com os filhos e, além disso (de mostrar que está ali como um amigo), tem que exercer sua autoridade", afirma ao completar que, se necessário, os pais devem buscar ajuda profissional.

Fonte: ASCOM-PCMG

Quem se lembra daquela boneca MOMO que em 2018 começou a disseminar mensagens de terror e com conteúdos suicidas entre as crianças? Pois é agora um outro perfil surgiu nas redes sociais com o mesmo tipo de conteúdo da boneca MOMO. Trata-se de um perfil chamado JONATHAN GALINDO, que apresenta como foto de perfil uma pessoa vestida com uma máscara do Pateta personagem de animação dos Estúdios de Walt Disney, porém um pouco deformada e assustadora. Esse perfil teve origem em 2017 no México e agora dezenas de perfis apareceram no Brasil imitando o perfil original disseminando conteúdo assustador para as crianças. Basta digitar o nome Jonathan Galindo (com TH) no Facebook por exemplo para ter acesso a dezenas de perfis.

 

A criança que segue ou se torna amiga desse perfil é incentivada a enviar uma mensagem privada para ele. A partir daí várias mensagens com conteúdo assustador é enviado às crianças para incitá-las a cometer atos de violência, como o suicídio e esse conteúdo é enviado em forma de texto, áudio e até mesmo por videoconferência. Eu conversei com Ivan Castilho, agente da Polícia Civil do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do Tribunal de Justiça de Santa Catarina,   e ele me disse que muitos perfis estão em espanhol mas que agora começam a surgir perfis em português também. Segundo Ivan os perfis possuem poucas publicações públicas e que ele está presente também no Tik Tok,  aplicativo chinês para criar e compartilhar vídeos curtos, onde é mais ativo.

 

No Tik Tok é possível a troca de msgs privadas mas em abril deste ano a rede social chinesa decidiu restringir o envio de mensagens privadas a menores de 16 anos e disponibilizar um modo de segurança familiar onde os pais podem controlar o tipo de conteúdo que recebem e o tempo que as crianças passam no aplicativo. A idade mínima para ingressar na rede social, como a maioria dos serviços é 13 anos, mas pode-se facilmente burlar a data de nascimento, o que a maioria das crianças acaba fazendo sem o monitoramento dos pais.

 

Portanto, reforço aqui as minhas recomendações de que pais devem ficar alertas às redes sociais das crianças, monitorar suas conexões e, em certos casos, até mesmo os diálogos mantidos de forma privada, em especial pelos mais novos e ter atenção especial aos aplicativos baixados e utilizados pela criança. Ivan Castilho orienta que quem for vítima destes perfis deve registrar um Boletim de Ocorrência, acionar o Disque Denúncia 181 e também efetuar a denúncia do próprio perfil seja ele no Facebook, Tik Tok ou qualquer outra rede social.

 

Dom, 17 de Maio de 2020 22:46

Live com Gracielle Torres no dia 18 de Maio

Em apoio à Campanha do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, Gracielle Torres fará uma Live no Instagram, no dia 18 às 20h para dar dicas aos pais de como proteger seus filhos na internet especialmente nesse momento de isolamento social.

Como todos têm acompanhado nas mídias, criminosos e oportunistas estão aproveitando o momento de aumento da atividade online para aplicar golpes, lançar campanhas de phishing para roubar dados pessoais e financeiros de suas vítimas e ainda espalhar pânico através de fake news utilizando o tema coronavirus. Mas outro tipo de risco ainda maior anda rondando os lares: o aumento do abuso sexual infantil online durante o período de isolamento social.

Autoridades de diversos países detectaram um aumento significativo de atividades de pedófilos na internet  e comercialização de material pornográfico infantil. Crianças e adolescentes tem passado muito mais tempo realizando atividades online, seja devido à necessidade de se dedicar às aulas virtuais ou atividades de lazer como uso de videogames, plataformas de jogos online, alto consumo de vídeos na plataforma Youtube, filmes em plataformas como a Netflix e chats e videoconferências com amigos. Consequentemente estão expostos a inúmeros riscos e Gracielle vai dar dicas de como melhorar a segurança em casa nas redes sociais, dispositivos eletrônicos e internet, em linguagem acessível.

Não perca!

 

Seg, 11 de Novembro de 2019 22:49

LGPD será discutida na Latinoware 2019



ResponderEncaminhar
Seg, 11 de Novembro de 2019 22:46

Gracielle Torres participa da Latinoware 2019

16º Congresso Latino-americano de Software Livre e Tecnologias Abertas. Orgulho de participar há 7 anos consecutivos do maior e mais importante evento da área de Tecnologias Livres da América Latina, criado em 2004 (como Conferência Latino-Americana de Software Livre) pela Itaipu Binacional e pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI). #gracielletorres Proteja seu filho na Internet Marcos Siriaco Martins Itaipu Binacional #latinoware2019

http://www.latinoware.org



ResponderEncaminhar

Exercer a cidadania também é apoiar e participar da aprovação de leis que podem impactar positivamente a vida das pessoas, especialmente de crianças e adolescentes!
E SIM!!! Sou totalmente a favor da criação do banco de dados nacional de pedófilos!!!!
Porque temos o DIREITO E O DEVER de proteger nossas crianças!!!

ResponderEncaminhar

Gracielle Torres será homenageada hoje, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, com a Comenda Mérito Social - Categoria Gente do Bem pelos trabalhos realizados no Projeto Proteja seu filho na internet.


Esta é a terceira homenagem que ela recebe, por 3 anos consecutivos. Em 2017, ela foi agraciada com o 24o Prêmio de Gentileza Urbana e em 2018 recebeu o título de Guardiã Belo Horizontina.


A belíssima e merecida homenagem foi indicada por Alexandre Adão do Jornal do Buritis e o Vereador Pedrão do Depósito.


Empresária na área de tecnologia, há 25 anos dirige uma das empresas precursoras da internet no Brasil, a Globalconn.

 

Por ser uma área extremamente dinâmica, a tecnologia lhe permitiu adquirir um perfil resiliente e autodidata, sempre se antecipando a novos conceitos e produtos.

 

Gracielle integra um ecossistema de negócios de impacto social, buscando soluções para as questões sociais e ambientais. Ela é colunista da Rádio Itatiaia, no Programa Tarde Ponto Com e é a idealizadora do Projeto Proteja seu Filho na Internet, que foi criado com o objetivo de sensibilizar, educar, orientar e conscientizar pais, educadores e crianças no uso seguro da internet.

 

Seu foco é o combate à pedofilia e pornografia infantil online. O projeto Proteja seu Filho na Internet realiza campanhas e atividades ao longo de todo o ano, levando conhecimento para pais e educadores e distribuindo gratuitamente cartilhas educativas.

 

Gracielle abraçou um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU) na Agenda 2030. Ela acredita que somente através da educação poderemos resolver questões profundas de segurança, respeito e cidadania. Com dedicação, ela procura levar conhecimento de alto nível, em linguagem acessível para seu grande público de pais, educadores, profissionais da área de tecnologia, ouvintes, crianças e jovens. “O meu maior prazer é falar ao meu público, com entusiasmo, segurança e motivação fazendo com que as pessoas reflitam sobre seu comportamento diante da tecnologia e em que lugar os relacionamentos, família e filhos estão em suas prioridades diárias.” Gracielle abraçou então o objetivo número 4 -  Educação de Qualidade.

 

Resultado de imagem para objetivo 4 onu

 

ResponderEncaminhar

Para a campanha de 2019, Gracielle Torres, fundadora do projeto Proteja seu filho na internet, estará no Mercado Central de Belo Horizonte, no sábado dia 18 de Maio, das 9 às 15h,  na Praça do Abacaxi, realizando uma ação voluntária de bate-papo sobre o tema com o público presente, distribuindo cartilhas educativas gratuitas.

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 1 de 13